top of page

LANÇAMENTO DA BIOGRAFIA DE UM LUTADOR IMPRESCINDÍVEL


Ana Valim***


Aldo Santos é daquelas pessoas imprescindíveis de que Bertold Brecht, dramaturgo, romancista e poeta alemão, fala em seu poema:

“Há homens que lutam um dia, e são bons;Há outros que lutam um ano, e são melhores;Há aqueles que lutam muitos anos, e são muito bons;Porém há os que lutam toda a vidaEstes são os imprescindíveis.”

Uma trajetória marcada por todo tipo de dificuldades, mas também por muita luta e resistência cotidianas. Desde a saída da família de Maria Bevenuta e Josias Raimundo do Cariri, no Nordeste, quando Aldo ainda era um bebê, num caminhão pau-de-arara; o trabalho como boia fria na roça, no interior de São Paulo; a moradia precária; o envenenamento, a tuberculose, a via crucis por sanatórios; a quase morte; a superação; o aprendizado tardio; a atuação nas comunidades eclesiais de base, no movimento sindical em defesa dos trabalhadores e trabalhadoras da saúde e da educação; no parlamento e nos partidos políticos.

Resgatar a história de Aldo Santos, uma verdadeira saga, é também entender que a memória pode ser subversiva, como diz Rubem Alves. Escrevê-la é eternizar em palavras a vida de alguém que exala resiliência, teimosia, propósito e inspira luta, compromisso, solidariedade, na construção de uma nova sociedade. Talvez utópica, mas que, como assegura Aldo, “Construiremos ombro a ombro, num ritual de eterna saudação a quem tem coragem”.

O lançamento da publicação será no dia 27 de abril, sábado, a partir das 18 horas, na subsede da APEOESP São Bernardo do Campo, Rua João Mitestainer, 62, Bairro Nova Petrópolis, São Bernardo do Campo/SP.

 

Ana Valim

Jornalista, Mestra em Comunicação Social

 

Autora de “Migrações: da perda da terra à exclusão social”, Ed. Atual, 1996; Coautora, com Roberto Baraldi, de “50 Anos de Luta” – Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André, Mauá e Ribeirão Pires, 1984; “Virgílio Gomes da Silva – Direito à Memória e à Verdade” – Sindicato dos Químicos de São Paulo, 2009. Com Aldo Santos: “Vila Lulaldo: Da lei do barbante à Regularização Fundiária”, Dialógica Editora, 2013; “A Luta faz a história” – Subsede da Apeoesp – São Bernardo do Campo”, 2016; “Moradia em movimento - Experiências de Luta”, Dialógica Editora, 2018; com Anizio Batista: “Anizio Batista: da roça a Rousseau – Trajetória que fez a diferença na organização dos trabalhadores”, Haikai Editora, 2018; “A comunicação popular na construção e preservação da memória das lutas populares no Brasil – décadas de 1970 e 1980”, NPC, 2020.

 

136 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo

2 Comments


Trigal!!

Não intrigo!! Eu sei que há joio, mas há, aqui neste planetinha, muito trigo!!!

Olhe só que lavoura de trigo:

Jesus, Margarida Alves, Manoel Fiel Filho, Santos Dias, Chico Mendes, Doroty Stang, Mahatma Gandy, Nelson Mandela, Oscar Romero, Paulo Freire, Zumbi, Hannah Arendt, Aldo Santos, Aldo Leite, Waldemar Rossi, Leonardo Boff, Frei Betto...

De maneira que este "trem" balança, mas não cai!! Tem pilastras bem fincadas!! Puro concreto armado com ferro...

Ainda bem que tem!!


Joaquim de Gino -Médico, Advogado e Filósofo

Like

"Navegar é preciso, viver não é preciso", lutar é necessário!

Like
bottom of page