top of page

O Lula sou eu...

Atualizado: 5 de jan. de 2023


Neuza Ap de O Peres***




E tantos outros milhões de brasileiros, trabalhadores, migrantes vindos de seus lugares de origem para tentar uma outra vida. Assim como ele, também sou filha de pais humildes, migrantes do trabalho na lavoura no sul do Brasil, e que a lição mais valiosa que me ensinaram é que os sonhos não se abandonam, luta-se até transformá-los em realidade.

Quando, em 1996, uma aluna trouxe-me como trabalho uma entrevista com o líder sindical Lula, algo me disse que aquela assinatura teria um valor inestimável. Guardo como uma joia rara.

Em 2019, estive na Vigília Lula Livre, até bordei um retalhinho para registrar minha passagem por lá. Ver e sentir a energia daquele espaço de resistência e esperança foi outra sensação indescritível. Ele não estava sozinho, aqueles incansáveis companheiros fizeram questão de manterem-se presos com ele! Não arredaram o pé nos 580 dias até a sua libertação.

Estar agora na posse do seu terceiro mandato, e ver a consagração de uma vida inteira de dedicação ao povo, não há como descrever. Eu não era mais do que uma entre os milhões de brasileiros, presentes ou não, que também se identificam com ele. Os registros que contarão este fato histórico, certamente, não descreverão as emoções na sua total intensidade. Como, se nem mesmo eu sou capaz de traduzi-las?



As ruas de Brasília viraram um mar vermelho de gente feliz, cantando, soltando o que ficou preso na garganta durante os últimos anos. Não houve espaço para os contrários, se é que havia, porque o amor estava no ar, nas ruas, nas plantas, nos pássaros que cantavam o canto da liberdade.

Ao subir a rampa do Palácio do Alvorada ao lado da diversidade que representa nosso povo, foi como dizer: o Brasil é nosso novamente!

Nunca na história do Brasil a posse de um presidente mereceu tanta alegria!

Para concluir, a marca do seu governo foi traduzida com a declaração do Ministro dos Direitos Humanos no governo Lula, Professor Silvio Almeida:

"Trabalhadoras e trabalhadores do Brasil, vocês existem e são valiosos para nós.

Mulheres do Brasil, vocês existem e são valiosas para nós.

Homens e mulheres pretos e pretas do Brasil, vocês existem e são valiosos para nós.

Povos indígenas deste país, vocês existem e são valiosos para nós.

Pessoas lésbicas, gays, bissexuais, transsexuais, travestis, intersexo e não binárias, vocês existem e são valiosas para nós.

Pessoas em situação de rua, vocês existem e são valiosas para nós.

Pessoas com deficiência, pessoas idosas, anistiados e filhos de anistiados, vítimas de violência, vítimas da fome e da falta de moradia, pessoas que sofrem com a falta de acesso à saúde, companheiras empregadas domésticas, todos e todas que sofrem com a falta de transporte, todos e todas que têm seus direitos violados, vocês existem e são valiosos para nós. Com esse compromisso, quero ser Ministro de um país que ponha a vida e a dignidade humana em primeiro lugar."




Neuza Ap de O Peres, Profa, militante do sindicato APEOESP, presidente da APROFFIB Associação de Professores/as, Filósofos/as do Brasil.

331 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

1 comentário


naoperes
naoperes
05 de jan. de 2023

Esta segunda foto é do espaço organizado pelo MST na Vigília Lula Livre em Curitiba.

Curtir
bottom of page