AUMENTA OS CASOS DE COVID, MAS O GOVERNO NÃO ESTÁ NEM AÍ


SINDICATO COBRA ATUAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO.


De acordo com pesquisa realizada pela APEOESP, em pouco mais de um mês, foram registrados 1.595 casos de Covid 19, em 230 escolas do Estado de São Paulo. O levantamento foi feito a partir de 11 de maio e o resultado publicado no site do sindicato, no último dia 27 de junho. Desses, 866 dos infectados são professores e professoras; 93 funcionários, 526 são alunos e 122 casos indeterminados (acometendo a população escolar como um todo).


Lamentavelmente, a professora Sueli Micheletti, da EE Adelino Peters, da cidade de Penápolis, veio a falecer, vítima do coranavirus.


Diante desse cenário que atemoriza professores, funcionários, alunos e pais, a Subsede/ SBC protocolou ofício junto ao Ministério Público, com pedido de investigação dos casos de Covid 19 e informações sobre quais procedimentos estão sendo adotados pela Diretoria Regional de Ensino do município.


No documento, o professor Aldo Josias dos Santos, coordenador da Subsede da APEOESP, destacou que apesar do crescimento acelerado dos casos de contaminação por Covid 19 nas unidades escolares, não há medidas sanitárias efetivas para controle da pandemia.

O coordenador disse ainda que os professores e a comunidade escolar não possuem um sistema de testagem efetiva e sistêmica para imediatas providências e isolamento dos que estão sendo contaminados. Inclusive, foi feita denúncia à vigilância sanitária, que reconheceu o aumento dos casos na região e informou que os protocolos de afastamento dos docentes municipais divergem do protocolo estadual.


É dever do Estado!

Para o coordenador, é dever do Estado garantir um local seguro tanto para os docentes como para os alunos, preservando a comunidade escolar e os seus familiares do vírus que ainda assola o nosso país. É imprescindível uma atuação no sentido de apurar a situação nas quais os professores estão sendo submetidos ao trabalho sem o mínimo de segurança e preservação à vida e à saúde.


A APEOESP, enquanto entidade representativa da categoria do magistério paulista, e também como entidade de utilidade pública em defesa do ensino democrático e de qualidade, vem acompanhando a atuação do Governo do Estado de São Paulo e a atuação de âmbito municipal, diante de diversas reivindicações de pais e professores e do descumprimento dos protocolos de segurança, bem como da omissão dos governos frente ao crescimento de casos de COVID-19.

Portanto, qualquer ato que atente contra a qualidade do ensino público e contra os direitos individuais e coletivos de seus associados, especialmente quando há atentado contra a vida e a saúde de todos, o sindicato vai combater.


No ofício protocolado no Ministério Público, a Apeoesp-SBC reitera ainda o pedido de providências frente ao descumprimento dos protocolos sanitários e que os casos citados nas várias escolas, onde profissionais estão submetidos a trabalho e ambiente insalubres, muitas vezes até sem água, sejam apurados.


Estamos aguardado as providencias em relação aos fatos denunciados desde meados de junho de 2022.

Vamos reiterar ao ministério público bem como cobras as devidas providencias.


No geral, vem aumentando o d numero de contaminados pelo vírus e o aumento no número de mortes.


Coordenação da subsede da apeoesp/sbc.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo