top of page

Rumo à estação Catanduva ; antagonismo de classes



Fernando Tolentino***





O capital se pauta pela exploração e acumulação e a consequência é a exclusão e miséria.


Sempre ecoa em meus pensamentos o lembrete do companheiro Aldo Santos de que os trabalhadores devem escrever a própria história porque a burguesia sempre escreve a sua e a de versão dos famélicos e explorados.


Neste livro o autor não expõe suas amarguras, Aldo descreve a exclusão de quem é apenas uma linha nas planilhas de custos do capitalismo; os gerentes do estado burguês não assistem a classe trabalhadora por generosidade, promovem assistência social para não morrer os integrantes de seu exército de mão-de-obra reserva; a solidariedade descrita no livro acontece entre os familiares oriundos da mesma classe econômica. Também tenho irmãos e me comove a admiração e respeito que o Aldo tem pelos seus irmãos.


Do que já li escrito pelo Professor Aldo Santos foi o que mais vi manifestações e reações e o que mais tive dificuldades para avaliar, organizar meus pensamentos, afetos e sentimentos e elaborar o que escrever. O Aldo Santos e todos nós não somos eternos, porém nosso companheiro está se eternizando no que escreve, fala e faz na promoção da consciência de classe dos trabalhadores.


Fernando Tolentino - Professor da rede municipal de São

Bernardo do Campo, dirigente do Sindserv-SBC

118 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

1件のコメント


Maravilhaaaaaa. Fuj contemplada com um exemplar e estou iniciando a leitura. Que maravilha. Recomendo.

いいね!
bottom of page