Toda nossa solidariedade aos que sofrem com a perseguição política!


Nos últimos anos temos visto inúmeras lideranças e manifestações políticas serem reprimidas e ultrajadas pelos que se apossaram do Estado brasileiro, e a crise humanitária pela qual passamos se torna a cada dia mais insuportável para os trabalhadores e trabalhadoras de todos os lugares, idades e segmentos.


As classes dominantes se vêem incapazes de administrar a crise que criaram e enfiaram garganta abaixo da nação e, por conta disto, para assegurarem que seus interesses não sejam abalados, recorrem a um gradual avanço do cerco reacionário sob as organizações oposicionistas ao seu projeto nefasto.

Desde o golpe parlamentar de 2016, acumulam-se numerosos casos de perseguição política em nosso país, que com o estabelecimento do atual governo proto-fascista obtiveram um ganho qualitativo bastante expressivo.


Prisões arbitrárias, listas com nomes de potenciais inimigos, marchas pedindo golpe militar e grupos que ameaçam invadir hospitais e prédios oficiais são algumas das coisas lamentáveis vistas nos últimos tempos, além do ressurgimento do resquício ditatorial que é a Lei de Segurança Nacional a qual vem sendo usada pelo governo atual de forma despótica para atingir seus opositores, atingindo desde “youtubers” a militantes de diversas causas contrárias à agenda conservadora e autoritária que se instaurou no Brasil com a eleição de Jair Bolsonaro.

Citemos como exemplos, a prisão do ex-presidente Lula, maior exemplo recente deste crescente autoritarismo, que sofreu um processo notadamente criminoso e que acabou sendo desmontado e reconsiderado pelo judiciário brasileiro devido às suas próprias contradições. Temos também o caso infame que atingiu o companheiro Aldo Santos, presidente do PSOL em São Bernardo do Campo, que foi condenado em 2018 a perda de direitos políticos e a pagar indenizações ao Estado brasileiro por conta de sua defesa da Ocupação Santo Dias em 2003, quando era vereador pelo PT na cidade.

Recentemente tivemos também o caso da prisão do ecossocialista Thiago Á’vila durante o despejo de famílias em uma ocupação em Brasília, como também a de integrantes do PT, enquadrados na Lei de Segurança Nacional por estenderem faixas com os dizeres “Bolsonaro Genocida” na Praça dos Três Poderes.


Na semana passada Guilherme Boulos, que há pouco tempo fora intimado com demais integrantes do MTST, como o companheiro Anderson Dalécio, de terem “invadido” o apartamento triplex do Guarujá pelo qual Lula havia sido condenado, foi enquadrado também pela LSN, acusado de ameaçar o presidente em uma publicação no Twitter a cerca de um ano atrás, quando rebateu uma fala autoritária de Bolsonaro, fazendo-o lembrar do destino que tivera a dinastia absolutista de Luís XIV na França revolucionária da época.

A política de terra arrasada imposta por este (des) governo tem o apoio do latifúndio, das corporações midiáticas e financeiras, revela uma elite mesquinha que convive muito bem com a destruição do país e de seu povo. Não podemos negligenciar o fato de que o governo de Bolsonaro não terá pudor na sua tentativa de impor ao país um Estado de exceção ditatorial, com o incessante crescimento da miséria social, econômica e a política genocida despejada sobre as costas da população, o que nos leva a crer que um levante das massas será inevitável e é apenas uma questão de tempo para que ocorra, pois se torna cada vez mais uma necessidade para a própria sobrevivência do povo.

Toda nossa solidariedade aos que estão sendo perseguidos por causa de suas convicções e pela sua luta em defesa da justiça social, da democracia e da dignidade humana!

Enfrente!

https://enfrentenet.blogspot.com/.../toda-nossa...

ENFRENTENET.BLOGSPOT.COM


Toda nossa solidariedade aos que sofrem de perseguição política

48 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo