top of page

Supervisores de Ensino: A Importância da Ética e do Respeito na Educação


Professor Fagundes***


No estado de São Paulo, a figura do supervisor de ensino sempre desempenhou um papel fundamental na garantia da qualidade educacional. Essa função, estabelecida por lei, tem como principais prerrogativas orientar, apoiar e colaborar com as escolas, promovendo um ambiente educacional saudável e produtivo. No entanto, nos últimos tempos, temos testemunhado um desvirtuamento preocupante dessa função tão nobre por alguns deles. Ao invés de atuarem como orientadores e parceiros das escolas, alguns indivíduos têm assumido uma postura autoritária e punitiva, desconsiderando completamente os valores éticos, morais e democráticos que regem o ambiente educacional.

É crucial destacar que um verdadeiro supervisor de ensino deve ser um agente de acolhimento e respeito. Isso significa marcar com antecedência reuniões com a equipe escolar, respeitando o tempo e o planejamento dos profissionais envolvidos. Chegar de surpresa, impondo sua vontade e desconsiderando a realidade da escola, é totalmente contraproducente e desrespeitoso. Além disso, a humildade e a parceria são características essenciais nessa função. Um supervisor eficaz não impõe suas ideias, mas colabora com a equipe escolar, ouvindo suas necessidades e contribuindo para o desenvolvimento conjunto. A arrogância e a prepotência não têm lugar na educação, pois minam a confiança e a harmonia necessárias para um ambiente de aprendizagem saudável.

É importante ressaltar também que o assédio moral não pode ser tolerado em nenhuma circunstância. É um crime que fere não apenas a dignidade das pessoas envolvidas, mas também compromete todo o processo educacional. Como afirmou o renomado autor Paulo Freire, "A educação não transforma o mundo. Educação muda as pessoas. Pessoas transformam o mundo." Portanto, é nosso dever combater qualquer comportamento que vá contra os princípios éticos e morais que regem a educação.

Também é imprescindível ressaltar a importância do respeito ao chão da escola, à comunidade escolar e à história que nos une. Cada escola carrega consigo uma trajetória de lutas, conquistas e aprendizados que moldaram sua identidade e direcionaram seu caminho. É fundamental que um supervisor de ensino reconheça e valorize esse legado, trabalhando em colaboração com todos os envolvidos para preservar e fortalecer esse patrimônio. Nossa trajetória, marcada por desafios e superações, é reflexo do compromisso coletivo com uma educação de qualidade e valores humanos. Reconhecemos que somos seres inacabados, em constante processo de aprendizagem e aprimoramento. Por isso, buscamos um supervisor que não apenas traga auxílio construtivo, mas que também nos inspire com novas ideias e perspectivas que impulsionem nosso crescimento pessoal e profissional.

Portanto, é lamentável quando aqueles que foram designados para promover melhorias se desviam desse propósito, agindo como fiéis escudeiros de superiores e adotando posturas desrespeitosas, humilhantes e prejudiciais. Isso não apenas mina a confiança e a motivação da equipe escolar, mas também compromete o ambiente de trabalho e o desenvolvimento dos estudantes. Neste contexto, convocamos todos e todas a defender nosso legado, nossa história, nossa memória e nossa dignidade. A educação não se constrói apenas com tijolos e livros, mas também com respeito, colaboração e comprometimento mútuo. Como afirmou o filósofo Paul Ricoeur, "O homem é um ser inacabado que, por sua educação, se educa a si mesmo."

Por fim, é urgente e necessário que os supervisores de ensino atuem como agentes facilitadores do processo educacional, respeitando e valorizando a comunidade escolar, sua história e seus esforços, e contribuindo de maneira construtiva para um ambiente de aprendizagem mais inclusivo, justo e enriquecedor. Em suma, a figura do supervisor de ensino deve ser reafirmada em sua nobreza e importância para a educação pública de qualidade e democrática. A ética, o respeito e a parceria devem ser os pilares que sustentam essa função, contribuindo para um ambiente educacional mais justo, humano e eficiente

Professor Fagundes.

Professor da Rede Pública Estadual -SP, Coordenador pedagógico na prefeitura de SBCampo e militante sindical

483 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

1 comentario


Nossa, mudou demais!

Lembro que em 1993 e 1994 as Supervisoras de Ensino de Diadema, a Yolanda e a Marisa me deram o maior apoio, pois eu trabalhava em uma escola dentro da proposta sócio construtiva de ensino e era perseguida, maltratada e pressionada pela diretora, coordenadora e professores. Isso em uma escola que era,"padrão" que justamente foi criada para isso. A Diretoria de ensino intercedeu, pois queriam reprovar meus alunos do segundo ano que estavam alfabetizados.

Me gusta
bottom of page