Por uma nova governança mundial!!


Por: Dr. Joaquim Netto***


"Breaking News"!!



Estamos em pleno 2021 da Era Cristã e...



"Deu no The New York Times":


Neste dia 24 de fevereiro de 2022, a Rússia invade a Ucrânia...


Uma Guerra na "civilizada" Eurasia em pleno século XXI...


Por quê?


Voltemos só até 1945 do século passado. Epílogo da Segunda Guerra Mundial. Os aliados (EUA, URSS, Reino Unido, França - vencedores) contra os países do Eixo(Alemanha, Itália e Japão) dividiram o mundo consoante os seus interesses políticos/econômicos/ideológicos. Muros foram erguidos. Instituiu o lado Ocidental a OTAN (NATO) - aliança militar liderada pelos EUA. O lado oriental, o Pacto de Varsóvia - aliança militar liderada pela então URSS. Estabeleceram fronteiras. Uma "Guerra Fria" se iniciou... Lembram ainda da crise dos mísseis de Cuba no início dos anos 60 do século XX? Evidenciam a disputa político-ideológica entre EUA e URSS, aliados outrora contra o nazismo/fascismo: Alemanha/Itália e o parceiro oriental: o Japão!



Com o declínio da URSS no ocaso do século passado, a OTAN iniciou-se uma indevida e perigosa expansão a leste desagradando a Rússia. Foi expandindo, expandindo e almejava chegar até a Ucrânia!! Wladimir Putin, presidente russo, estrategista, calculista... media os passos e preparava uma REAÇÃO!! E reagiu!! Sem maniqueísmo, sugiro! Não tem "santinhos" nesta história...



Podemos ver esta Guerra sob vários ângulos.


Do ponto de vista ético, nenhuma Guerra se justifica, digo isso "a priori"!!


Do ponto de vista geopolítico errou a OTAN ao agir desrespeitando os acordos de outrora. Como dizem por aqui no sertão: ": "Cutucou a onça com vara curta"!!


Uma pena que, neste jogo de guerra, quem mais padecem são os inocentes: o povo ucraniano primeiramente e secundariamente todos os povos do mundo, pois toda guerra, desta natureza, tem repercussão na economia mundial.


Importante atentarmos sobre o contexto deste evento bélico no leste europeu, mas de repercussão mundial... Contextualiza'-lo. Este texto almeja a um contexto sem pretexto.



Hoje não tem mais uma única super potencia econômica/militar... Não!! Oba'!!. Ainda bem! Fala-se em um mundo multipolar. Ha' vários "players" hoje. Tem, por exemplo, a República Popular da China com quem a Federação Rússia já se encontrou recentemente...


Como fica a República Federativa do Brasil no "concerto" das nações? É um "player" relevante? Qual o "jogo" da diplomacia brasileira nos últimos 3 anos? O atual presidente brasileiro esteve recentemente em visita oficial à Rússia. Qual papel foi cumprir? Ou irá cumprir?



A meu juízo (é premente!) a necessidade de reorganizar as instituições emergidas no pós guerra (Segunda Guerra Mundial). É preciso repensar, por exemplo, a composição e o papel do Conselho de Segurança Mundial. Não dá mais para manter 5 países como membros permanentes e com direito a veto. Há interesse destes cinco (EUA, Rússia, França, Reino Unido e China) em mudança?


Vivemos, indubitavelmente, um momento histórico desafiador. Céleres mudanças na infra-estrutura resvalando na superestrutura. Na ordem do dia, pois, emergem forte questões ambientais (desenvolvimento sustentado) e, claro! uma nova governança mundial. É preciso pensar na "aldeia" (no bairro, na cidade...) sim; mas é também preciso pensar no país (Brasil), na América Latina e no mundo concomitantemente. Este ano haverá eleições presidenciais no Brasil. Momento mais que oportuno!! Assim, quem sabe!, não seremos surpreendidos com estas notícias de última hora ("breaking news"). É isso!! Por uma nova governança mundial onde o trabalho (trabalhadores) não fica em desvantagem (como até aqui tem ficado!) em relação ao capital. Descruzemo-nos os braços. Não sejamos anérgicos!!



Joaquim Netto - Filósofo, Advogado e Médico

87 visualizações1 comentário