Lula, um homem político construído pelo sistema.


Texto de:Altair Lourenço de Lima*...



Lula e um homem produzido pelo sistema. E o sistema e que constrói e elege seus operadores a partir de processos políticos, no caso brasileiro esse mecanismo legitimador e realizado através das chamadas eleições democráticas burguesa.

No caso do Lula a sua história foi e está sendo construída pelo sistema estabelecido pela ordem, com a finalidade da permanência de um regime de poder. Podemos afirmar que esse modelo capitalista sobre controles imperialistas vem sendo construído desde sua colonização com várias fases e formatos operacionais. Até aqui podemos dizer que o Lula e um homem do sistema, mas que os seus seguidores e apoiadores constrói sua história a partir da grande mídia corporativa. Essa história necessita de uma narrativa maniqueísta, as mesmas usadas pelas religiões para justificar a existência do sagrado. Para isso a necessidade do discurso do bem contra o mau. Essa tal narrativa parte de que o Lula e um homem político perseguido pelo sistema do qual construiu ele próprio. Agora esse homem político está com grandes possibilidades de retornar a ser operador a serviço do poder econômico estabelecido pelo sistema vigente.

Como pode um homem perseguido pelo sistema está preste a retornar à presidência do país que seus seguidores afirmam que foi perseguido pelos seus inimigos e do povo dentro da ordem que ele foi um grande operador e muito elogiado, principalmente pelo sistema financeiro.?

Como a volta depende de toda uma articulação em busca do consenso entre os principais grupos dono do poder. Esse consenso trabalha no objetivo sanar todos os conflitos entres grupos que possa dificultar as operações políticas de interesse destes grupos econômico. E que a que concentração econômica possa ocorrer dentro da normalidade capitalista. Essa base de sustentação política sempre chamada de aliança em nome da governabilidade. Então esse aparato depende de amplo consenso de alianças operacionais, quem vai organizar tudo isso são o que chamamos partidos políticos. Esses operadores nunca saíram do sistema, estão trabalhando para o poder desde a chamada redemocratização. E bom deixar claro que mito rotulado de direita ou de esquerda depende da grande mídia para que seja popularizado pelas massas. E bom também deixar claro que as massas são diferentes de povo.

Se os mitos políticos são fruto do sistema econômico, que detém o poder, então os mitos só pode continuar sua existência se permanecer trabalhando e defendendo seus financiadores dentro da ordem. Por estes motivos que os mitos nunca poderão contrariar a ordem que lhe constrói e sustenta. Se rebelar contra o sistema deixaria de ser seus representantes dentro do sistema político. Lógico, a mídia trabalha para construir esses mitos, usando vários rótulos a partir da narrativa construída e propagada dentro dos principais grupos ideológicos, para que possa ser popularizado e defendidas dentro da ordem. Em geral os mitos para existir precisa de contraposição, em que as narrativas precisam ser propagadas a partir de posições maniqueísta e moral dentro de uma única ordem, sendo o bem contra o mau. A mídia que exerce esse papel dentro do sistema, também é financiada pelo poder econômico, no caso do Brasil esse poder econômico vem sofrendo um aprofundamento no modelo econômico primarizados e financeiro especulativo, que consome a maior parte do orçamento do país. Além de deter o poder e controlar a mídia, também elege seus representantes chamados de governos ou operadores dentro da ordem já estabelecida.

Não podemos deixar de mencionar também que o aparato judicial trabalha para os detentores do poder, representados por vários setores da economia, tendo os mais destacados são os setores primário exportador e o sistema financeiro especulativo. Esse último, além de viver da especulação, abocanha boa parte do orçamento, também atua como lavador de dinheiro do crime organizado, inclusive do narco tráfico. Se o judiciário faz parte deste sistema, cabe ao judiciário acatar todas as ordens de seus controladores e como deve ser exercido seu papel dentro sistema econômico que detém o poder. Esse papel exercido pelo judiciário condena quando e solicitado a condenar, inocenta quando e de interesse do sistema. Também atua substituindo o executivo e o legislativo toda vez que esses dois segmentos venham contrariar os detentores do poder ou criar conflitos entre os grupos da ordem com o objetivo ampliar seus cargos na esfera gerencial do poder estabelecido pela ordem sistêmica.

Voltando na questão destes mitos, se aceita ser um representante da ordem com rótulo de esquerda ou direita sabe muito bem qual seu papel a ser executado. Gostaria de mencionar que a democracia que os pré-candidatos estão defendendo é a democracia do parlamento e do supremo burguês ou melhor da ordem. E as alianças e proposta do Lula está calçada na defesa da continuidade e na aplicação da política já estabelecida dentro da ordem vigente. É bom deixar claro que estas duas instituições liberais capitalista não precisam do Lula para sobreviver. Para elas sobreviverem precisam de remunerar o capital internacional como tem feitos todos os governos brasileiros defensores do neoliberalismo. E o governo do Lula não fugiu desta logica liberal em que realizou ou deu continuidade nas reformas para remunerar o capital internacional. Ficam claro que as instituições liberais capitalista não precisa de presidente para continuar remunerando o capital internacional é que eles elegeram a figura Bolsonaro para exercer o papel de presidente, e ele não tem atrapalhado a remuneração do capital internacional, pelo contrário tem exercido papel fundamental em que passa seu governo fazendo declarações com intuito de desviar a atenção das massas brasileira, enquanto o parlamento vai aprovado as principais reformas. Podemos citar algumas aqui, como a reforma da previdência, trabalhista, reforma do ensino médio proposta pelo PT e aprovada no governo do Temer. Sem falar a PEC 10/2020 em que passa em torno de três trilhões do tesouro nacional para o banco central comprar título podres da banca privada, essa PEC 10 obteve votos de todos os deputados, exceto de dois, inclusive um deles foi Glauber Braga do RJ que voltou contra, também não podemos esquecer que a remuneração de caixa dos bancos privados foi aprovada. Para ser mais justo em nossas análises, devemos estudar as principais reformas realizadas nos últimos anos para que possamos identificar em quais governos foram aprovados e quais os partidos e parlamentares foram os propositores das reformas liberais para remunerar o capital internacional. Então, não podemos ter candidatos da ordem de estimação. Ordem, essa que entrega o país ao capital internacional gerando desemprego e miséria.

Então, será que todo o debate colocado por este sistema de poder nas eleições para escolher seus representantes interessa aos trabalhadores, que depende de trabalho e valor a partir do sistema produtivo para que possa gerar mais valor, assim gerando capital excedente para ser usado no investimento e construção de um estado forte como prestador de serviços público e investimentos na sua estrutura e infraestrutura a serviço do sistema produtivo.

Acho que não. Já que todos que estão na disputa para ser os operadores do sistema trabalha para a continuidade deste tal modelo citados várias vezes. Sendo o da recolonização a partir do primário exportador e o sistema financeiro levando a maior parte através do endividamento. Todas as políticas defendidas pelos candidatos da ordem têm como objetivo da continuidade na acumulação primitiva.


Autor: Altair Lourenço de Lima

Colaboração

João Antônio Benites Torricilas

70 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo