BOLSONARO: OS DOIS GOVERNOS


Por: Alberto Souza .



Na verdade o governo Bolsonaro são dois.

Um, para atender exigências formais e ter do seu lado a maioria do Parlamento, para destruir patrimônios públicos, como Petrobras, Eletrobras, Correios e outros, entregando-os a grupos privados locais e estrangeiros, ferindo mortalmente a soberania nacional; também, para destruir os direitos da classe trabalhadora, neoescravizando-a mais ainda. Enfim, para garantir sua política econômica, governada por Paulo Guedes, um seguidor do neoliberalismo chileno de Pinochet.


Outro, de caráter paralelo, marginal, por fora das instituições; apoiando-se em milícias criminosas, que também já tomam forma no seio das polícias militares, com tendência a adquirir corpo nas próprias Forças Armadas, lembrando a formação de grupos do Exército e de outros setores militares, que agiam sempre contra a democracia no passado, até acabar por destruí-la com o golpe de 64. Um novo governo militar,(com um general da ativa a ir a palanques apoiar manifestações antidemocráticas, golpistas), que pode ameaçar a decisão soberana do povo de eleger um opositor a Bolsonaro em 2022. Um governo de decisão pela morte de centenas de milhares de brasileiros e brasileiras, aliado da Pandemia, para beneficiar empresários, protegidos contra o Vírus, apenas sabedores de que milhares dos que exploram em suas empresas, infectados pelo Covid, ficaram sem vida. Um governo de apoio criminoso a quem destrói a floresta amazônica. Um governo de fake news. Um governo acima das leis, conspirando abertamente contra a democracia, por um projeto neofascista ainda não claramente declarado, por achar que o fascismo é mais eficiente para defender os grandes capitalistas e seu sistema que qualquer democracia liberal; por isso, recebendo apoio de donos do capital.


Para as forças de esquerda, democratas, consequentes, o caminho é aprofundar a sua luta tanto contra o governo marginal como contra o formal,contra os interesses que representam: por um Brasil democrático, dono de suas riquezas, contra um política que tem como objetivo central pôr fim aos direitos de quem vive de seu trabalho e contra as lutas democráticas da classe trabalhadora.


Alberto Souza - Ex-vereador em SBC, militante sindical e dos Direitos Humanos.

45 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo