A POESIA E A DOR NOSSA DE CADA DIA!!


Dr. Joaquim Netto***


A minha dor e a do condor...


A dor nossa!! Nossa!!?


Doutor, dói aqui, dói ali...

- Dói acolar?

- Uma generalizada artralgia. Ave Maria!!

- Dor algo personalíssimo. Cada um ou cada uma exibe com precisão a sua localização. Substantivo comum, as vezes próprio, abstrato... Dor física, emotiva ou as duas concomitantemente. Sentimento universal: Dor do lado de cima e do lado de baixo do equador. Pesa a Dor! Não é fácil andar com esse andor!!

Machuca a dor!!


É possível sublimar? Ah! Como é possível a dor sublimar!! Basta para tanto o o nosso cérebro treinar!!


Somos, afinal, neste quesito sobretudo: o nosso cérebro!!


Os Analgésicos nos acompanha outrora e agora...Sinal que o mecanismo da dor tem relevância vital. A dor é a mais destacada manifestação de vida, afinal!


A poesia a mim traz paz, alegria aqui na Bahia!! Divago à beça!! Penso em minha mãe, Rosa Maria...Nostalgia!!


A dor se manifesta forte no poeta, mas como bem lembrou o poeta luso, Fernando Pessoa:


"O poeta é um fingidor. Finge tão completamente que chega a fingir que é dor a dor que deveras sente"!!


Ufa!! Depois deste analgésico poético, confesso: melhorei! Melhorei mesmo! Bastou este analgésico (poesia) no centro da dor em meu cérebro chegar!! Oxalá!!


Hum!!!


O que de mim seria não fosse a poesia no meu dia-a-dia!!!



Joaquim Netto - Médico, Advogado e filósofo.

43 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

FORÇA

FELICIDADE