A maior contribuição de Karl Marx/Hegel para a Filosofia: o método dialético


Prof. Chico Gretter*


Todos afirmam que a grande obra de Karl Marx é O Capital. E certamente é uma senão a mais importante e profunda da história da Economia Política moderna! Mas, para mim como filósofo, considero que a maior contribuição de Karl Marx para a História da Filosofia foi ter "virado Hegel de cabeça para baixo" e ter elabora o método dialético de análise da realidade histórico-social.


A Filosofia da História de Georg Wilhelm Friedrich Hegel (Fenomenologia do Espírito, 1807) foi interpretada por Marx, que era da “esquerda hegeliana”, no contexto do processo histórico de luta e transformação do mundo, da realidade; daí a Filosofia da Práxis (cf. Adolfo Sanches Vásquez), a história do pensamento na ação e a ação do pensamento na história - processo dialético dinâmico e inseparável...). "A prática sem teoria é cega e a teoria sem prática é alienação" (Karl Marx,Teses contra Feuerbch).


A dinâmica tese-antítese-síntese...tese-antítese-síntese....(processo dialético) não se dá meramente no pensamento mas na ação transformadora no contexto do processo histórico-social. Fora disso, a filosofia é alienação, ideologia, autoajuda (psicologia ou teologia disfarçadas de filosofia...). E, o que é pior, quando alguns teóricos da “esquerda” se esquecem disso, eles não passam de meros reprodutores de alguma ideologia partidária ou corrente política dentro do espectro do pensamento de esquerda. Ideologias ou teorias políticas são importantes e legítimas, mas fogem do âmbito da Filosofia enquanto Reflexão Crítica e Radical de todo pensamento e ação!


Claro que o embate teórico entre as correntes de esquerda não é tão simples assim, mas é mais ou menos isso que acontece nos debates político-partidários. Nem falemos das vaidades e brigas pelo poder/cargos dentro das burocracias sindicais e dos partidos. A luta revolucionária para instauração do socialismo/comunismo infelizmente sempre contou com esse vírus mutante (variantes) do burocratismo, dos contrarrevolucionários e das ilusões sociais-democratas alimentadas pelo idealismo cristão dos “homens de boa vontade”...


Termino minha divagação com mais uma citação das Teses Contra Feuerbach de Marx (1845) que todos conhecem: "Os filósofos até hoje não fizeram mais do que interpretar o mundo; cabe agora transformá-lo"! E completo parodiando Sócrates: "Conhece-te a ti mesmo na relação-com-os-outros-no-mundo/história". Não há “salvação” ou revolução somente individual. A vida e a luta continuam!



*18/01/2022 - Prof. Chico Gretter – professor de História e Filosofia há 35 anos no ensino médio e superior, mestre em Filosofia e História da Educação (FEUSP/1997) - Presidente da APROFFESP.

164 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo