É natural!


Por:Aldo Santos.


Sou campesino

Quando fora menino.

Vivo no mundo urbano

Num ritual des(humano).

Na solidão do ser

Do ter

Do sim e do não,O cosmo sempre em ação.

A reminiscência me leva

Ao altar do quintal

Me rendo a exuberância da natureza

O organismo vivo que é a terra

Que sem razão ou espírito

Tudo nutre, transforma e conserva.

Como parte da cosmologia

Harmonicamente, entoam uma universal sinfonia.

Encanta-me sobremaneira

A oferenda dos pés de flores

Que desabrocham na vida

Nas alegrias incontidas

Na poesia sentida

E na sublime emoção ou nas feridas

das dores.

Simboliza o nascimento,

A juventude

Que brilha

A maturidade das pétalas

E a volta a terra guia

Na vida contida

Contudo, convém

destacar e indagar

Flores vêm

Flores têm o espinho e perfume de si

Mesmo que murchem suas pétalas

Ou, injustificadamente

Cortem suas flores.

Sinta que a terra-vida

Como uma mãe combalida

Torna suas criaturas felizes

Perceba que apesar dos pesares

Vivemos a renovar

Porque também somos raízes.

Que viva a natureza universal

Onde tudo e todos somos raizes

E terra em potencial

Aldo Santos-Professor de filosofia, militante dos movimentos sociais e do Psol

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

@ 2020 ABC DA LUTA 

OS TEXTOS PUBLICADOS SÃO DE INTEIRA RESPONSABILIDADE DOS AUTORES