top of page

Água, Verão e Volta às Aulas

Atualizado: 22 de fev. de 2023


Marcos Rubens Ferreira*


"A água é o princípio de todas as coisas" já dizia o Filósofo Tales de Mileto faz 2.500 anos, e, até hoje ressoam tais palavras do pré socrático grego, mas para além da densidade ou as transformações físico-químicas do líquido elemento aqui nos detemos no impacto das chuvas de verão durante este início de ano letivo.


Nesta terça feira, 07 de fevereiro, repercutem nas redes sociais e mass media inúmeros vídeos com imagens de Escolas Públicas, Obras Públicas e Vias Públicas total ou parcialmente submersas nas águas pluviais do Verão/2023, a questão climática rememora o "Princípio Responsabilidade" tão alertado por Hans Jonas (1903-1993): "se a humanidade se preocupar apenas com o presente, o futuro pode deixar de existir".


Atualizando, neste momento às 20h10, a População Paulistana deslocou-se para Escolas onde tenta estudar, arrisca-se voltar após intenso dia de labor ou ir ao trabalho noturno, e, com está População perguntamos: O QUE OS DONOS DO PODER EXECUTIVO, JUDICIÁRIO E LEGISLATIVO FARÃO POR NÓS, QUE ESTAMOS EM MEIO ÀS ÁGUAS DO VERÃO/2023?


Como se não bastasse o descaso das autoridades que se omitem em relação às suas obrigações institucionais, o que na prática existem são tragédias anunciadas por conta da omissão dos gestores - opressores de plantão.


Todos os anos nos deparamos com dezenas de vítimas da população pobre, que muitas vezes por falta de moradia, são levadas a se fixarem nos mais variados espaços degradados e morros inseguros.

Nossa irrestrita solidariedade ao nosso povo que paga com a própria vida o desrespeito ao meio ambiente e a falta de políticas públicas inclusivas.


Como diz o poeta:

"É pau, é pedra, é o fim do caminho É um resto de toco, é um pouco sozinho É um caco de vidro, é a vida, é o Sol É a noite, é a morte, é o laço, é o anzol É o fundo do poço, é o fim do caminho No rosto, o desgosto, é um pouco sozinho É um estrepe, é um prego, é uma ponta, é um ponto É um pingo pingando, é uma conta, é um conto É um peixe, é um gesto, é uma prata brilhando É a luz da manhã, é o tijolo chegando É a lenha, é o dia, é o fim da picada É a garrafa de cana, o estilhaço na estrada É o projeto da casa, é o corpo na cama É o carro enguiçado, é a lama, é a lama É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã É um resto de mato, na luz da manhã São as águas de março fechando o verão É a promessa de vida no teu coração"(Águas de Março-Tom Jobim)



*Professor de Filosofia e Ciências Humanas e Sociais Aplicadas na Rede Pública de Educação; Diretor Adjunto da APROFFESP ESTADUAL; Integrante Coordenação, Equipe Técnica de Professores e Serviço de Comunicação na Pastoral da Saúde CNBB SUL 1; Ex Conselheiro Participativo Municipal FÓ/BRA (2014-2017); Conselheiro Gestor Pronto Socorro Municipal 21 de junho - Freguesia do Ó (2022-2024); Especialização “Gestão e Controle Social de Políticas Públicas” (Escola De Contas TCM SP); Especialista em Ensino de Filosofia no Ensino Médio (Unifesp - Universidade Federal de São Paulo)




ATENÇÃO: CURTIR, COMPATILHAR E COMENTAR NESTE ESPAÇO PARA CONHECIMENTO DO/A AUTOR/A OU CONSIDERAÇÕES SOBRE O TEMA. COMUNICAÇÃO ENGAJADA É TAMBÉM TRIBUNA DE DEBATE E DENÚNCIAS RESPONSÁVEIS.

339 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page